Ir para o conteúdo

O Hospital

Edificio do Espirito Santo de Évora EPE

Edifício do Hospital do Espírito Santo de Évora EPE

 

Missão

Prestar cuidados de saúde diferenciados, adequados e em tempo útil, garantindo padrões elevados de desempenho técnico-científico, de eficaz e eficiente gestão de recursos, de humanização e promovendo o desenvolvimento profissional dos seus colaboradores.

Objetivos

Contribuir para a obtenção de ganhos de saúde em articulação com os cuidados de saúde primários e com o setor social e privado; Garantir a humanização dos cuidados e os direitos dos utentes; Melhorar o acesso e a adequação da oferta de serviços; Melhorar a eficiência técnica e económica; Melhorar a qualidade dos cuidados e da organização dos serviços; Valorizar o capital humano.

O Hospital 

O Hospital do Espírito Santo de Évora, EPE (HESE) é a maior e principal unidade hospitalar do território alentejano, aquela que oferece maior diferenciação e que, para além de receber os utentes do Alentejo Central (155.000 habitantes), trata cada vez mais doentes provenientes do Alto Alentejo, Baixo Alentejo e Alentejo Litoral (319.000 habitantes), num total de 473.235 habitantes (estimativa INE, 2017).

Com a transformação em Entidade Empresarial (ano 2006), o Hospital do Espírito Santo de Évora passou por uma profunda transformação ao nível das instalações físicas, da organização interna e da diferenciação das suas valências, aumentando a oferta de cuidados mais diferenciados à população e suprimindo algumas das carências existentes na região.

O HESE, para além do bom desempenho registado nas análises de Benchmarking elaboradas periodicamente pela ACSS (onde destacamos p.e. o excelente comportamento em termos de demora média de internamento e da demora média pré-operatória), mostra ainda valores de atividade de referência, apesar de todos os constrangimentos com que se depara e que se irão descrever ao longo deste documento. Senão vejamos:

  • Em 2018 verificou-se uma melhoria significativa na generalidade das linhas de produção do HESE. O número de doentes saídos do internamento aumentou 291 entre 2018 e 2019.
  • No que concerne ao número de Intervenções Cirúrgicas, a tendência crescente manteve-se ao longo dos anos, de tal forma que em 2018 realizaram-se quase o dobro das intervenções de 2008 e mais 24,8% do que em 2017 (16.290 intervenções cirúrgicas, em 2018). Apesar das dificuldades sentidas ao nível de recursos humanos no bloco operatório, com o esforço dos profissionais do HESE, conseguimos ultrapassar a atividade realizada em 2017.
  • A linha de produção de Consultas Externas teve grande desenvolvimento no HESE, aumentando significativamente a atividade assistencial (158.642 consultas em 2008 para 207.391 em 2018, +30,7%, correspondendo a +48.749 consultas).
  • Em 2008, as Urgências tiveram uma afluência de aproximadamente 77.500 doentes/ano. No ano 2018 os níveis de afluência ultrapassaram os 74.000 episódios de urgência, um ligeiro aumento relativamente a 2017 (1,2%).
  • Relativamente à produção em Hospital de Dia, registou-se em 2018 uma atividade substancialmente superior à de 2017 (64,67%).
  • Ao nível dos MCDT’s, o HESE, no total das diferentes áreas, fez cerca de 3 milhões de procedimentos procurando no exterior apenas aqueles cujas impossibilidades técnicas ou de recursos humanos assim o exigiram.

Toda esta atividade é apenas possível com uma equipa de profissionais extremamente dedicada que tem transformado todas as dificuldades em motivação para melhor responder às necessidades dos seus utentes.

 

Área de Influência

A área de influência abrangida pelo HESE e a sua população observam características muito particulares. O Alentejo corresponde a cerca de 30% da área territorial de Portugal, representando apenas cerca 5% da população total. A densidade populacional é consideravelmente mais baixa, a área corresponde a mais do dobro e o índice de envelhecimento consideravelmente superior em relação aos outros hospitais do grupo.

A conjugação de todas estas características da população alvo, atípicas quando comparadas com a média das restantes instituições do grupo, cria ao HESE constrangimentos e dificuldades ao nível da gestão dos seus recursos que não se colocam noutras instituições.

 

HESE – Instituição de Resposta Regional

O HESE destaca-se já como referência no Alentejo para as áreas mais diferenciadas, a saber:

  • O HESE dispõe de um Serviço de Urgência Polivalente, o único em toda a Região Alentejo.
  • O Serviço de Nefrologia é o único da Região. A sua experiência em diálise peritoneal coloca-o em destaque a nível nacional. Tem a única cobertura de urgência da Região.
  • O Serviço de Gastroenterologia dispõe igualmente de urgência diária, servindo toda a área da ARS Alentejo (ARSA), proporcionando exames de diagnóstico e terapêutica colaborando também com a ARSA em diversos rastreios.
  • O Serviço de Cardiologia é o único serviço da Região que tem uma Unidade de Cuidados Intensivos Cardíacos. Conta também com duas salas (abertura da segunda sala para maio de 2019) na Unidade de Angiografia Digital e Cardiologia de Intervenção com cobertura de 24 horas, permitindo a realização de angioplastias, cateterismos, inserção/revisão de pacemaker´s e dispositivos cardíacos.
  • O Serviço de Pneumologia garante a realização de exames diferenciados, nomeadamente broncoscopias e toracoscopia, correspondendo a técnicas que apenas se encontram disponíveis, na sua globalidade, no HESE, para toda a Região.
  • A Neurologia dispõe de uma Unidade de AVC, sendo a única a funcionar nestes moldes na Região.
  • O Serviço de Dermatologia do HESE é igualmente o único existente na Região, registado uma forte atividade na área da telemedicina.
  • Na área cirúrgica existem também especialidades em que o HESE funciona como Hospital Central de toda a Região. Tal verifica-se na Cirurgia Plástica, na Cirurgia Vascular, na Cirurgia Pediátrica e na Cirurgia Bariátrica.
  • O Serviço de Oncologia do HESE assegura a supervisão do tratamento de todos os utentes da região, através de protocolos elaborados com as restantes unidades, deslocando-se os seus profissionais médicos a essas unidades.
  • A especialidade de Hematologia existe apenas no HESE, servindo toda a Região do Alentejo Central, Alto Alentejo e Litoral.
  • O HESE dispõe da única unidade de Radioterapia da Região, assegurando as necessidades para este tipo de tratamento a todos os hospitais da sua área de influência.
  • Na área materno-infantil, o HESE tem um Serviço de Obstetrícia com idoneidade reconhecida pelo colégio da especialidade da Ordem dos Médicos, e que garante o apoio perinatal diferenciado a toda a Região, dispondo de uma Unidade de Cuidados Intensivos de Neonatologia.
  • O Serviço de Anatomia Patológica é o único de tipo II existente na Região, servindo todos os hospitais da área e os cuidados de saúde primários.
  • O Serviço de Patologia Clínica trabalha em parceria com a ARSA desde 2007, ano iniciou de forma inovadora a colheita de sangue em seis Centros de Saúde do Distrito de Évora, reduzindo gastos a essa Administração Regional de Saúde, em transportes e com as unidades convencionados.
  • O Serviço de Imagiologia dispõe, desde junho de 2009, de um equipamento de Ressonância Magnética, e um Angio TAC, únicos na Região Alentejo em serviços públicos.
  • O Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental possui internamento de doentes agudos e crónicos na Região Alentejo. Existe também uma grande aposta no ambulatório, de forma a prestar cuidados de proximidade e ajustar o trabalho desenvolvido às necessidades existentes.
  • O Serviço de Imunohemoterapia assegura as colheitas, o tratamento do sangue e o suporte transfusional para todas as instituições da Região.

 

Partilhar:
Shares