Ir para o conteúdo

Medicina Fisica e Reabilitação

Diretora de Serviço
Drª Ana Chumbinho

Técnica Coordenadora
Técª Ana Caixa

Técnica Coord. Tep. Fala

Técª Céu Magalhães

E-mail: sec.mfr@hevora.min-saude.pt

Localização

Edifício do Espírito Santo (zona antiga)

 

O Serviço de Medicina Física e Reabilitação (MFR) é um serviço integrado num Hospital da rede pública de cuidados de saúde, Serviço Nacional de Saúde, que desenvolve atividades assistenciais no âmbito das várias valências da especialidade, desde consultas médicas a tratamentos de fisioterapia, terapia ocupacional, terapia da fala e neuropsicologia. Este trabalho assitencial, visa uma resposta aos pedidos emanados dos vários serviços de internamento do Hospital do Espírito Santo, da consulta externa, dos cuidados primários de saúde ou doutra qualquer instituição, desde considerada dentro dos requisitos normativos de funcionamento.
O Serviço de MFR tem sofrido ao longo dos anos um crescimento de pessoal, de logística e de diferenciação, encontrando-se neste momento, em condições de oferecer consultas e tratamentos em quase todas as áreas da especialidade, tanto a adultos como a crianças.
Somos um Serviço constituído por uma equipa multiprofissional, em que colaboram pessoas com várias profissões, mas que no seu todo, trabalham para os mesmos objetivos programáticos, oferecer serviços de saúde na área da Medicina Física e de Reabilitação de qualidade e o mais atempadamente possível. Este grupo é constituído por duas médicas especialistas em MFR, uma Psicóloga Clínica, doze Fisioterapeutas, três Terapeutas Ocupacionais, duas Terapeutas da Fala, dois Funcionárias Administrativos e cinco assistentes operacionais.
O que fazemos: 
As actividades do Serviço pertencem ao âmbito geral da medicina de reabilitação, cabendo a cada grupo profissional desenvolver as suas atividades próprias.
Atividades médicas:
  • Consultas Internas a todos os Serviços do Hospital
  • Consultas Externas
  • Internamento de casos específicos de MFR
  • Investigação Clínica
  • Formação
  • Procedimentos terapêuticos variados (visicosuplementação, infiltrações intra-articulares, infiltrações tecidos moles, mesoterapia, injeção para neurólise quimica com neurotoxina, talas e gessos funcionais)

Consultas Externas em funcionamento:

  • Reabilitação Geral de Adultos
  • Reabilitação de Crianças
  • Acidentes Vasculares Cerebrais (AVC)
  • Reabilitação Respiratória
  • Toxina Botulínica- adultos e crianças com espasticidade
  • Reeducação do Pavimento Pélvico
  • Mesoterapia com istola DHN3
  • Escolioses
  • Produtos de apoio/ Ajudas técnicas
  • Telemedicina com as Unidades de Saúde de Reguengos de Monsaraz e os Centro de Saúde de Vila Viçosa e Vendas Novas.

Psicologia Clínica 

A psicologia clínica desenvolve as suas atividades no âmbito do internamento e consulta externa, nas seguintes áreas: acidentes vasculares cerebrais (AVC), avaliação neuropsicológica/neurocognitiva, reabilitação, pediatria. Dá apoio diferenciado à Unidade de AVC e à Unidade de Convalescença deste Hospital.

Desenvolve uma vertente de investigação clínica com colaboração periódica em eventos nacionais e estrangeiros, publicação de trabalhos em revistas nacionais e estrangeiras e ainda, dá formação a alunos de universidades de psicologia e a estagiários, tanto a nível curricular de licenciatura, como estágios profissionais. Tem participado também, em visitas domiciliárias de utentes do Serviço, para em equipa se diligenciarem as adaptações consideradas necessárias.
 Fisioterapia 
Os fisioterapeutas são técnicos licenciados que se encontram colocados nos vários Sectores do Serviço: electroterapia, ginásios, mas que também dão apoio diário aos doentes internados nos diferentes serviços do Hospital, desempenhando as funções próprias destes profissionais de saúde e actuando, de forma especializada e, actualizada, nas várias vertentes da sua profissão.
Fazem, ainda, visitas domiciliárias em equipa, para planeamento de altas.
São coordenados por um dos seus pares.
 Anualmente, os fisioterapeutas acompanham os estágios de alunos de diferentes Universidades, com quem temos protocolos de colaboração, que frequentam a licenciatura em Fisioterapia.
Terapia da Fala
São feitas avaliações e sessões terapêuticas a doentes do Serviço, internados ou do ambulatório, dando-se particular importância a doentes com patologias mais graves do sistema nervoso central.
Na área da formação, são tutelados estágios no âmbito das licenciaturas em Terapia da Fala. 
Tem-se um protocolo com a Fundação PT para desenvolvimento de estratégias de comunicação.
Uma das terapeutas tem funções de coordenação de todo o grupo profissional da instituição.

Um das terapeutas é mestre em T.F.

Terapia Ocupacional  
A T.O. atua essencialmente nos défices dos membros superiores e mãos.
São efectuados treinos funcionais, motores e sensitivos nas suas várias vertentes funcionais.
São manufacturadas talas rígidas e funcionais, sobretudo para o membro superior e mão, por prescrição médica.

 

Por momentos teve a experiência de uma pessoa com afasia!

Imagine que subitamente:

– Não consegue falar, ou exprimir corretamente as suas ideias

– Não compreende corretamente o que lhe dizem

– Não consegue ler um jornal, ou as legendas da televisão

– Não consegue escrever o seu nome

– Não consegue argumentar as suas convicções

Parece que acordou num País distante, com uma língua diferente!

No entanto o seu raciocínio e a sua memória estão mantidos.

Quão frustrante e restritiva será a sua comunicação? Esta é a experiência de uma pessoa com afasia!

A Afasia é um problema de Comunicação causada por uma lesão neurológica que ocorre nas zonas específicas para o processamento da linguagem, sendo o AVC a causa mais comum. Junho é o mês da consciencialização para a Afasia segundo a American Heart Association e a American Stroke Association.

Durante o mês de junho o grupo de Terapeutas da Fala do HESE vai realizar diversas iniciativas com o objetivo de promover o conhecimento sobre a afasia em toda a comunidade hospitalar. Vão ser compartilhadas as principais dificuldades que estas pessoas sentem, consequências psicossociais, dicas de comunicação, através da divulgação de diversos panfletos, cartazes e vídeos.

Ter afasia não é uma doença, é consequência de uma doença que pode surgir em qualquer idade, afetar qualquer género, raça ou nacionalidade. Vamos todos compreender melhor este problema, que subitamente pode surgir num familiar, amigo ou até em si próprio.

Partilhar:
Shares