Ir para o conteúdo

Cirurgia Geral - Carteira de Serviços

Consulta Externa

Todos os dias da semana, quer seja no período da manhã ou de tarde decorrem consultas de Cirurgia, no edifício do Patrocínio no Serviço de Consultas Externas.
Estas consultas podem ser solicitadas pelos médicos de Medicina Geral e Familiar e também por colegas de outras especialidades hospitalares. As consultas também podem ser pedidas por via eletrónica (ALERT P1/CTH) e são triadas e priorizadas de acordo com a informação clínica fornecida pelo colega de Medicina Geral e Familiar.
O serviço oferece ainda consultas de subespecialidade como:
• AMTCO- Avaliação Multidisciplinar para Tratamento Cirúrgico da Obesidade;
• Cirurgia da Mama. Integrada na Unidade de Oncologia;
• Flebologia.

 

• Cirurgia Bariátrica (Obesidade) 
Estas consultas são chamadas de AMTCO – Avaliação Multidisciplinar do Tratamento Cirúrgico da Obesidade. Decorrem às terças-feiras no período da manha e tarde.
O cirurgião responsável é o Dr. Manuel Carvalho e participa também nestas consultas a Dr.ª Margarida Amaro. 
Existe uma equipa integrada que envolve: Enfermeira dedicada, Nutricionista, Psicólogo e Internista, e o doente é avaliado em várias consultas em contexto multidisciplinar.
O objetivo do tratamento cirúrgico é melhorar a qualidade de Vida e diminuir o impacto negativo do excesso de peso na sobrevida global do doente e para isso deve o estudo e planeamento deste tratamento ser individualizado e personalizado.

 

• Cirurgia da Mama
A consulta decorre duas ou três vezes por semana (segundas e/ou terças-feiras e/ou quartas feiras e/ou sextas feiras), sem lista de espera para doentes referenciadas pelo Rastreio da Liga Portuguesa Contra o Cancro ou com diagnóstico de malignidade já estabelecido.
Por ano são realizadas em média 1.500 consultas das quais cerca de 150 são primeiras consultas.
O responsável pelo Grupo de Cirurgia da Mama é a Dr.ª Rosa Félix, e fazem parte deste grupo o Dr. Manuel Carvalho e o Dr. Artur Silva.
Este grupo tem vindo a dedicar-se especialmente ao tratamento desta patologia com formação e treino em técnicas de Cirurgia Oncoplástica e com participação ativa na criação de protocolos nacionais.
Existe uma estreita colaboração com a especialidade de Cirurgia Plástica, em particular, nos casos em que é necessário fazer mastectomia com reconstrução mamária seja esta imediata ou diferida.
A consulta funciona também em estreita colaboração com as consultas de Oncologia Médica e de Senologia e ainda com uma relação de interdisciplinaridade com o S. de Imagiologia e de Anatomia Patológica.

 

• Flebologia
O núcleo clínico envolvido no tratamento desta patologia é o Dr. Manuel Bento e Drª Ana Raquel Martins, responsável desta consulta e o Dr. Paulo Jaleco. Uma das vertentes da Flebologia aborda a insuficiência venosa crónica dos membros inferiores e suas complicações, nomeadamente as varizes.  O Serviço oferece uma consulta específica para esta patologia, que decorre duas vezes por semana, à quinta-feira de manhã e de tarde.  Para além do diagnóstico e acompanhamento clínico, são executados procedimentos de esclerose nos doentes sem indicação operatória.   Os doentes com situações passíveis de tratamento cirúrgico são propostos para cirurgia.
Existe ainda no nosso Hospital uma Consulta de Decisão Terapêutica que se caracteriza por ser de carácter multidisciplinar (Oncologia Médica, Cirurgia, Radioterapia, Anatomia Patológica, Imagiologia, Urologia, Farmácia e Enfermagem) sendo que os cirurgiões têm presença obrigatória. Os casos clínicos relativos aos doentes com patologia oncológica são apresentados pelo médico responsável ou por um dos médicos presentes na Reunião e após discussão interdisciplinar é estabelecido um plano terapêutico adequado e personalizado a cada doente e à situação clínica que é apresentada.
Este grupo promove reuniões de intercâmbio científico com os médicos dos Cuidados Primários, sendo os temas abordados nestas reuniões de interesse comum a todos os clínicos das diferentes áreas: comunidade/hospitalar. O objectivo é optimizar a ligação entre os Cuidados de Saúde Primários e os Cuidados Hospitalares.
Existe desde Agosto de 2006 a possibilidade de marcação de Consultas por via electrónica a partir dos Centros de Saúde do Distrito de Évora.

 

Internamento

O serviço é constituído por duas unidades de internamento, uma no piso 2 com 42 camas e outra no piso 3 com 28 camas. Destas camas, duas são em quartos individuais e destinam-se a doentes potencialmente infectados, com compromisso do sistema imunitário ou ainda que necessitem de acompanhamento familiar permanente. No caso de indisponibilidade de camas, o internamento dos doentes da Cirurgia Geral pode ser feito noutros serviços.
No piso 2 existe uma Unidade de Cuidados Cirúrgicos Intermédios (UCCI) com 5 camas com parametrização individual dos sinais vitais, com um cirurgião e um(a) enfermeiro(a) de permanência 24 horas. O internamento nesta unidade é preferencialmente para os doentes submetidos a cirurgias de maior complexidade e/ou que careçam de uma vigilância clínica mais estreita e prestação de cuidados diferenciados.

 

Atividade Cirúrgica

O Serviço de Cirurgia Geral tem capacidade de resposta para todos os capítulos de patologia da Cirurgia Geral à excepção da doença oncológica do esófago e da hepatobiliopancreatica que obrigue a cirurgias major ou transplante de órgão. Os doentes com indicação para serem submetidos a essas cirurgias são encaminhados para outros centros de acordo com a rede de referenciação e dos protocolos inter-hospitalares.
O Serviço de Cirurgia tem-lhe atribuído semanalmente 11 tempos operatórios no Bloco Operatório Central, num total de 66H.
As cirurgias realizadas em Sala de Cirurgia fora do Bloco Central são programadas pelo respectivo cirurgião e de acordo com a sua lista de espera na Sala de Pequena Cirurgia, localizada no piso 3 do Edifício do Patrocínio.
O Serviço de Cirurgia desenvolve a sua actividade cirúrgica nas seguintes áreas:

 

• Cabeça e Pescoço
• Cirurgia da tiróide e paratireóides;
• Biópsias ganglionares cervicais;
• Excisão de lesões da pele e tecido celular subcutâneo.

 

• Mama
• Tratamento da patologia benigna;
• Tem ao dispor capacidade para realizar técnicas de Cirurgia Oncoplástica, propor cirurgia de simetrização, pesquisa de gânglio sentinela e avaliação intra-operatória das peças cirúrgicas da mama e dos gânglios, estes com resultados definitivos intra-operatórios;
• O tratamento da patologia oncológica sempre integrado em equipa multidisciplinar. 

 

• Parede abdominal
• Correção das hérnias da parede abdominal: epigástricas, umbilicais, inguinais, crurais, incisionais sendo que a abordagem pode ser por via abdominal clássica ou por via laparoscópica;

 

• Esófago e Diafragma
• Tratamento da patologia benigna esófago-gástrica: acalásia, doença do refluxo gastro esofágico, hérnia do hiato, maioritariamente por abordagem laparoscópica.

 

• Estômago e Duodeno
• Cirurgia das complicações da úlcera péptica ou dos casos resistentes ao tratamento medicamentoso;
• Tratamento da patologia oncológica: carcinoma gástrico, GIST e outros, sempre integrado em equipa multidisciplinar de tratamento oncológico;
• Atualmente a abordagem cirúrgica ainda é a clássica, por via abdominal, mas a perspectiva futura será aumentar a possibilidade da abordagem laparoscópica;
• No nosso serviço, nos casos propostos para quimioterapia primária, é feita antes uma cirurgia que se chama laparoscopia de estadiamento de forma a poder decidir e planear o melhor tratamento caso a caso.

 

• Cirurgia Bariátrica
• A realização de Bypass gástrico, de Sleeve gástrico
• A cirurgia na falência terapêutica dos métodos restritivos, como as bandas gástricas
• A colaboração com a Gastroenterologia e com a Cirurgia Plástica

 

• Jejuno e Íleon
• Cirurgia por tumores ou quando indicada na doença de Crohn;
• Cirurgia de urgência: rotura, sofrimento intestinal por hérnias ou aderências, íleos biliar.
• Apêndice Ileocecal
• O mais comum é em contexto de urgência por infeção/inflamação sendo possível a abordagem clássica ou laparoscópica conforme indicado em cada situação e de acordo com a preferência do doente e do cirurgião;
• Cirurgia por tumores do apêndice.

 

• Cólon e Reto
• Tratamento cirúrgico da patologia benigna: diverticulose, volvo;
• Tratamento da patologia oncológica: cancro do colon e reto sempre integrado em equipa multidisciplinar;
• No cólon sempre que possível e indicado, a abordagem será por laparoscopia;
• No reto é sempre feita a excisão total do mesoreto e no caso do reto baixo sempre que possível prefere-se a anastomose baixa mesmo que recorrendo a estoma transitório de proteção;
• Nos casos de doença em estadio inicial e devidamente selecionados podem fazer-se excisões transanais com a possibilidade de recorrer a técnica de TAMIS (cirurgia transanal minimamente invasiva).

 

• Ânus, Períneo e Região Sagrada
• Cirurgia do quisto dermoide ou do sinus pilonidalis com encerramento direto recorrendo a técnicas de retalhos pediculados de avanço ou de3ixando encerrar por segunda intenção havendo a possibilidade de recorrer a terapia de pressão negativa;
• Cirurgia de hemorroidas: hemorroidectomia ou hemorroidopexia;
• Cirurgia da fissura anal, da fístula perianal;
• Cirurgia de tumores do ânus, quando há lugar a indicação cirúrgica.

 

• Vesícula e Vias biliares
• O tratamento eletivo ou urgente da litíase vesicular faz-se preferencialmente por abordagem laparoscópica.
• O tratamento cirúrgico da litíase das vias biliares, por laparoscopia, é agora uma possibilidade sempre que os casos tenham indicação para este tipo de tratamento.
• Colaboração com o Serviço de Gastroenterologia no tratamento da litíase das vias biliares.

 

• Fígado
• Cirurgia da hidatidose hepática;
• Cirurgia das Metástases Hepáticas;
• Cirurgia em contexto de urgência traumática e de drenagem de abcessos.
• Outra patrologia e sempre que indicado e discutido em Reunião multidisciplinar os doentes são avaliados e tratados no Hospital Curry Cabral, de acordo com o protocolo inter-hospitalar.

 

• Pâncreas
• Tratamento de tumores do corpo e cauda do pâncreas;
• Tratamento dos casos complicados e com indicação cirúrgica da necrose pancreática na pancreatite aguda grave e na drenagem dos pseudoquistos pancreáticos.
• Outra patologia com necessidade de Cirurgia Major é referenciada ao Hospital Curry Cabral de acordo com o protocolo inter-hospitalar.

 

• Baço
• A esplenectomia por traumatismo quando assim indicada;
• A remoção esplénica como tratamento em doenças do foro hematológico ou por tumores esplénicos e geralmente em estreita colaboração com a especialidade de Hematologia. A abordagem cirúrgica pode ser a clássica ou por via laparoscópica.

 

• Glândula Suprarrenal
• A remoção da glândula por abordagem clássica ou laparoscópica por tumores endócrinos ou malignos.
• Cirurgia Ginecológica
• Tratamento cirúrgico do cancro do ovário;
• Tratamento profilático das doentes com Síndromes hereditários mama-ovário, sendo a abordagem preferencial a laparoscópica.

 

• Laparoscopias
• Cirurgia para estadiamento do cancro gástrico, como cirurgia de diagnóstico e estadiamento do cancro do ovário e para biopsia diagnóstica nos casos de cancros primários ocultos.

 

• Membros
• Cirurgia de desbridamento e drenagem no pé diabético;
• Cirurgia de amputação na patologia isquémica pura e neuro-isquémica.

 

• Vascular
• Tratamento cirúrgico da insuficiência venosa crónica: laqueação da crossa da veia safena interna ou externa, stripping proximal da veia safena interna, laqueação de comunicantes e excisão de trajetos varicosos;
• Colocação de acessos vasculares totalmente implantados para realização posterior de quimioterapia;
• A cirurgia vascular arterial é da responsabilidade da Cirurgia Vascular e os doentes são referenciados para o Hospital de Santa Marta.

 

• Pele e Tecido celular Subcutâneo
• Tratamento do Melanoma Maligno em equipa multidisciplinar com a Dermatologia, Cirurgia plástica, Oncologia;
• Excisão de lesões cutâneas, excisão de lipomas, de hematomas, quistos sebáceos;
• Correção do leito ungueal.
O Serviço de Cirurgia Geral tem como objetivos principais:
• Prestar cuidados de saúde diferenciados e de complexidade cada vez maior na área de Cirurgia Geral, tendo o compromisso de se manter sempre actualizado em relação aos avanços tecnológicos e científicos.
• Assegurar o atendimento atempado e eficiente dos doentes, reduzindo o tempo de espera para intervenção cirúrgica, e oferecer um tratamento adequado, de alta qualidade, personalizado e de acordo com o estado da arte, seguindo as recomendações internacionais sendo o doente o centro de toda esta actividade e dinamização.
• A formação contínua, teórica e prática de todo o pessoal do Serviço: médicos, enfermeiros, assistentes operacionais e assistentes técnicos, de forma a que como equipa possam providenciar cuidados de saúde modernos, adequados e individualizados a cada doente.

 

Urgência

O Serviço de Cirurgia Geral assegura a prestação de cuidados cirúrgicos no Serviço de Urgência do Hospital, com quatro elementos desta especialidade em Presença Física, três em regime de 24H, um quarto elemento durante 12 horas que nas 12H subsequentes fica em Regime de Prevenção. Esta Equipa Cirúrgica presta assistência clínica a todos os doentes com patologia cirúrgica que necessitem de cuidados urgentes e/ou intervenções cirúrgicas. O apoio no atendimento a doentes em idade pediátrica quando não existe Cirurgião Pediátrico de urgência é também feito por esta equipa.
A Cirurgia Geral é a especialidade que faz a primeira abordagem dos doentes politraumatizados e sempre que necessário se articula com a especialidade de Ortopedia e Medicina Intensiva.
Existe uma Sala de Bloco Operatório disponível 24H para todos os doentes que necessitem de intervenções cirúrgicas urgentes /emergentes.
É geralmente o elemento mais graduado desta equipa de urgência que assegura os cuidados urgentes necessários a doentes internados no seu serviço, quer seja nas enfermarias de Cirurgia ou na Unidade de Cuidados Cirúrgicos Intermédios (UCCI), e ainda a doentes internados noutros serviços quando assim solicitado por colegas de outras especialidades.