Ir para o conteúdo

DGS e Fundação Calouste Gulbenkian assinam Memorando para controlo de infeções

A Direção-Geral da Saúde (DGS) e a Fundação Calouste Gulbenkian promovem, a 18 de novembro, Dia Europeu do Antibiótico, a sessão “Reduzir Infeções e Resistências aos Antimicrobianos”.

O evento, com início às 14h30, no auditório 3 da Fundação Calouste Gulbenkian, contará com a presença da Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, e do Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales.

O combate às infeções hospitalares tem um impacto direto não só na morbi-mortalidade, mas também na redução do consumo de antibióticos e da emergência de estirpes bacterianas resistentes e na diminuição de custos hospitalares.

Na sequência de um trabalho conjunto, será assinado um Memorando de Entendimento entre a DGS, através do Programa de Prevenção e Controlo de Infeções e de Resistência aos Antimicrobianos (PPCIRA), e a Fundação Calouste Gulbenkian para o desenvolvimento e implementação de dois projetos nesta área.

Um deles é o “Desafio STOP Infeção Hospitalar 2.0”, que será implementado pela DGS/PPCIRA, com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian e do Institute for Healthcare Improvement, em 12 instituições hospitalares do Serviço Nacional de Saúde (SNS) nos próximos três anos. O objetivo é replicar o Desafio STOP Infeção Hospitalar, que permitiu reduzir as infeções hospitalares em mais de 50% em 19 hospitais nacionais, entre 2015 e 2018.

Será ainda desenvolvido o “Desafio Boas Escolhas, Melhor Saúde”, em que a Fundação Gulbenkian e a DGS/PPCIRA pretendem acelerar em 20% a diminuição da sobreutilização de antibióticos em cuidados de saúde primários e hospitalares do SNS.

O PPCIRA foi criado em fevereiro de 2013, com o estatuto de programa de saúde prioritário da DGS, com o objetivo de reduzir a taxa de infeções associadas a cuidados de saúde, promover o uso correto de antibióticos e reduzir a taxa de microrganismos resistentes a estes fármacos, garantindo a sustentabilidade da efetividade dos antibióticos.

Através da sua estrutura vertical de gestão do Programa, nomeadamente dos seus grupos regionais, nas Administrações Regionais de Saúde, e locais, nas unidades prestadoras de cuidados, o PPCIRA tem conseguido alcançar vários objetivos. Entre eles, a crescente adesão de profissionais de saúde à higiene das mãos, redução de incidência de infeções associadas a cirurgia de joelho e anca, redução de infeções adquiridas em unidades de cuidados intensivos, redução de uso de antibióticos mais associados à emergência de resistência bacteriana e redução da taxa de resistência na maioria das bactérias monitorizadas.

 

Fonte: dgs.pt

imagem do post do DGS e Fundação Calouste Gulbenkian assinam Memorando para controlo de infeções