Ir para o conteúdo

​Especialistas do Hospital de Évora "tratam o cancro por tu" 

Os médicos oncologistas do HESE Rui Dinis, Diretor de Serviço, e Mariana Inácio, assistente de Oncologia dedicada ao cancro da pele, foram os especialistas convidados para a sessão que decorreu em Évora subordinada ao tema “Tratar o cancro por tu”, dia 31 de março, no auditório da Universidade de Évora, promovida pelo Institute of Molecular Pathology and Immunology of the University of Porto  (IPATIMUP),

cujo objetivo foi apresentar as terapias mais recentes no combate ao cancro, simplificar conceitos, alertar para a necessidade do diagnóstico precoce e colocar os doentes no centro da discussão.

A sessão contou com cerca de 150 participantes e com a presença da Senhora Reitora da Universidade de Évora, Ana Costa Freitas, da Presidente da Administração Regional de Saúda da Região Alentejo, Maria Filomena Mendes, da Diretora Clínica do Hospital do Espírito Santo de Évora EPE, Isabel Pita, e do Presidente da Câmara de Évora, Carlos Pinto Sá. A iniciativa irá dar origem a um podcast na RTP Play, disponível para todos, em breve.

“Tratar o cancro por tu é o que queremos com a literacia na área do cancro: aumentar o conhecimento sobre o cancro da pele e as formas de prevenção e diagnóstico precoce, bem como informar dos tratamentos atualmente ao dispor, que trouxeram mais meios para a cura e maior sobrevevivência. O cancro é um tema difícil de abordar na nossa região, que tem a maior incidência de melanoma”, realça Rui Dinis.

Mariana Inácio, Assistente de Oncologia dedicada ao cancro da pele, acrescenta ainda que “existem vários tipos de cancro da pele, e embora o melanoma seja o menos comum é aquele que nos preocupa dada a sua elevada mortalidade se for detetado em fases tardias. Este tipo de estratégias de prevenção primária têm permitido diminuir a incidência de melanomas espessos (aqueles com pior prognóstico), bem como a mortalidade relacionada com o melanoma. As medidas de prevenção e os sinais de alerta devem ser ensinados desde cedo nas escolas e também aos jovens adultos, que depois perpetuam o ensino em casa. ”

Com estas sessões, explica Manuel Sobrinho Simões, diretor do Ipatimup, pretende-se «chegar às pessoas e contribuir para a literacia no cancro, procurando também humanizar a forma como olhamos para esta doença e compreendê-la num sentido mais amplo». Por vezes, reconhece, «a ciência tem uma linguagem demasiado hermética e técnica, pelo que é preciso aproximarmo-nos das pessoas e simplificar as explicações sobre as várias abordagens da terapia”. Os eventos realizam-se em parceria com a Antena1, com a Janssen, do grupo Johnson & Johnson, e com a Roche Foundation Medicine, e contam também com o apoio da Novartis.

O Ipatimup considerou urgente reintroduzir o tema do cancro na discussão pública e criar oportunidades para ouvir os especialistas sobre os avanços médicos e científicos do tratamento de uma doença que ainda mata mais de 28 mil portugueses por ano. Com a iniciativa “Tratar o cancro por tu”, o Ipatimup salta os muros da ciência para ir ao encontro da população em seis municípios: Porto, Braga, Coimbra, Lisboa, Vila Real e Évora. Em cada uma das seis sessões, foi abordado um cancro diferente – pulmão, mama, leucemias e linfomas, cólon, próstata e pele – e em cada uma das sessões participaram alguns dos melhores especialistas em diferentes áreas médicas e cirúrgicas, dessa região.

Gabinete de Comunicação e Marketing.

13.04.2022

imagem do post do ​Especialistas do Hospital de Évora “tratam o cancro por tu”